Translate

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Tripulante morre a bordo de navio que seguia para o Porto de Suape

A Polícia Federal (PF) investiga a morte de tripulante do navio tanque/químico Piltene, que estava atracado no Porto de Suape (PE). O estrangeiro Kiselovs Vladislavs, 31 anos, foi encontrado no convés principal da embarcação. Natural da Lativja, na Letônia, Kiselovs era solteiro e responsável pela limpeza da sala de máquinas. O corpo do funcionário estava extremamente machucado, com o braço direito, mandíbula, costelas quebradas, além de ronchas severas em volta dos olhos. Apesar disso, de acordo com a PF, não há indícios de homicídio.

Piltene fundeado no Porto de Santos

O navio procedente do Porto do Itaqui (MA). Nesta segunda-feira, os representantes da embarcação darão início aos procedimentos para liberação do corpo e repatriação. Segundo descrição e relatório do navio, ao ser encontrado por tripulantes, Kiselovs foi submetido aos procedimentos de primeiros socorros, recebendo colar cervical, pressão nas fissuras com ataduras, controle do pulso e da respiração. Os tripulantes do navio, fizeram contato com os serviços de urgência de Natal (RN), Belém (PA) e do Rio de Janeiro (RJ). Um médico potiguar instruiu os procedimentos de urgência até que o navio pudesse atracar num porto mais próximo, onde técnicas médicas de alta complexidade fossem adotadas. No entanto, a vítima ficou sem pulso e respiração. Tentativas de ressuscitação foram realizadas, mas o tripulante não resistiu e morreu. O corpo foi colocado na câmara frigorífica do navio até o Porto de Suape, onde o navio atracou no dia 17 de abril. Após os procedimentos de saúde pública realizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, policiais federais e militares da Marinha do Brasil estiveram dentro da embarcação.

Após o término dos trabalhos investigativos e levantamento de informações, o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para realização do laudo tanatoscópico, para que seja indicado o motivo real da morte. Ao que tudo indica, a morte foi ocasionada em virtude de uma queda numa altura significativa do convés da embarcação. O acidente foi confirmado por relatos do comandante e também do operador de bombas da embarcação, quando prestaram declarações na sede da Polícia Federal. Nesse caso, a investigação após a análise de todo o contexto (depoimentos, perícias, exame tanatoscópico final do IML) provavelmente, tem tudo para ser dada por concluída, sem indicar a existência de qualquer circunstância ou ação criminosa, mas sim por acidente. 

O corpo foi embalsamado após passar por exames no IML para ser entregue a seus parentes que moram na Rússia, onde será providenciado o seu sepultamento. As despesas com translado do corpo e com a funerária ficam a cargo dos representantes da embarcação no Brasil. 

O navio está carregado de gasolina e possui 23 tripulantes. Após retirada do corpo, o navio foi liberado pela Polícia Federal, ANVISA e Marinha de Brasil e seguiu viagem para o Porto de Aratu (BA).

Dados do navio:


Nome: Piltene
IMO: 9323376
Indicativo: V7LN6
Ano de Construção: 2007
Construtor: '3 Maj' Brodogradilište d.d. – Rijeka, Croácia
Armador: LSC Shipmanagement SIA – Riga, Letônia (JSC Latvian Shipping Company (Latvijas Kuģniecība) – Riga, Letônia)
LOA: 195,16 m
Boca: 32,20 m
Calado: 12,50 m
Arqueação Bruta (GT): 30.641 t
Porte Bruto (DWT): 52.648 t
Capacidade Líquida: 56.190 m³
Porto de Registro: Majuro
Bandeira: Ilhas Marshall Bandeira das Ilhas Marshall


Fonte: Diário de Pernambuco
Foto e adaptação de texto: Henrique Ferrinho